segunda-feira, 18 de dezembro de 2006

dimensional

foto David Fokos

A vida é larga
o mundo extenso

e minhas mãos indefesas
se entregam ao ofício de modelar
cada dia
afagar cada rosto
segurar o remo quando a tempestade
avançar
sobre
nossos cabelos.

Por enquanto
a vida é larga
o mundo extenso

e a minha estranha forma humana
(escondida sob as roupas e as máscaras)
caminha entre os instantes
em que o relógio
divide
a dor e alegria
na pulsação que espanta a fragilidade
do corpo
e do coração.

Sei que no percurso
a vida é larga
o mundo extenso

e o chão do país
arde quilômetros sob os meus passos
as estrelas
faíscam distantes sobre minha cabeça
e a gravidade
dos fatos
(e dos tatos)
me põe em pé
enquanto a terra flutua no espaço
(solenemente)
carregando seus animais.


](do livro “Poesia provisória”)

5 comentários:

Luzzsh disse...

Oi....

Há o que dizer?...Talvez 'obrigada' por compartilhar conosco palavras tão sensivelmente orquestradas...

(Saber que vc me lê só me enche de lisonja...)

Boa semana, queridíssimo...

Luzzsh disse...

Oiê.....

Passando pra desejar Felizes Dias, inclusive o de natal....Boas Festas, e que o ano de 2007 nos traga vida para seguir com poesia, ou vice-versa.....

Beijos a vc e aos seus.....

Dioneide Costa disse...

Passando depois de um tempo ausente..fim de ano, correria e tal..
lindo poema

"a vida é larga
o mundo extenso"

FELIZ 2007

Rayanne disse...

"O mundo é grande


O mundo é grande e cabe
nesta janela sobre o mar.
O mar é grande e cabe
na cama e no colchão de amar.
O amor é grande e cabe
no breve espaço de beijar.


(Carlos Drummond de Andrade in “Amar se Aprende Amando”)"

Tua poesia faísca tanto que sempre me arde outra poesia. Urge.
Feliz dois mil e SEMPRE, poeta.

***Estrelas sempre***

ediney disse...

Poema sobre a vida e não vida..versos não comuns para falar de coisas comuns