segunda-feira, 16 de abril de 2007

parecer

foto Marília Campos

Pode ler
pode guardar
pode rasgar.

Tenho versos para todos os desgostos.

(do livro “Poesia provisória”)

5 comentários:

GIOVANNA disse...

Apenas sábios dizem tanto com tão poucas palavras...

Eu também me inspirei!

Rayanne disse...

Leio.
Rasgo.
Costuro a alma.
Sangro,
não tenho calma.
O gosto de verso
Em verbo
Desgosto.

Você sempre me emudece.

***Estrelas***

dioneide disse...

Boa sexta-feira prá vc também!!
O blog voltou a travar a senha...

Bjssss

"A alegria verdadeira não tem explicação possível, não tem a possibilidade de ser compreendida - e se parece com o início de uma perdição irrecuperável. Esse fundir-se total é insuportavelmente bom .. é a vida incomensurável que chega a se parecer com a grandeza da morte. Deve-se deixar inundar pela alegria aos poucos - pois é a vida nascendo. E quem não tiver força, que antes cubra cada nervo com uma película protetora, com uma película de morte para poder tolerar a vida. Essa película pode consistir em qualquer ato formal protetor, em qualquer silêncio ou em várias palavras sem sentido. Pois o prazer não é de se brincar com ele. Ele é nós."

Clarice Lispector

Li disse...

Que bom que gostou!
Virei sempre aqui para ler, guardar e arquivar seus versos.

Abraços

Ligia

li disse...

Que bom que gostou!
Virei sempre aqui para ler, guardar e arquivar seus versos.

Abraços

Ligia

http://enleio.blogspot.com/