terça-feira, 11 de julho de 2006

persona grata

foto Farrokh Chothia

Gratifica-me ver teus olhos:
pássaros castanhos
que voam longe de mim.

Gratifica-me ver teu rosto:
moldura morena
que se guarda longe de mim.

Gratifica-me ouvir tua voz:
teclas de piano
que tocam longe de mim.

Gratifica-me teu jeito de andar:
ave-elegante
que passeia longe de mim.

Gratifica-me sentir tuas mãos:
gestos de plumas
se chegassem perto de mim.

(do livro “Poesia provisória”)

10 comentários:

Rayanne disse...

Gratifica-me teu jeito manso
de tratar palavras
ondulando uma cantiga para o amor.

Gratifica-me aportar aqui
Sacudir a tempestade das entranhas
e experimentar um jeito doce de cantar a dor.

Estrelas.

Nirton Venancio disse...

obrigado, Rayanne. Obrigado pelas palavras. Beijos.

Claudio Eugenio Luz disse...

Com toda certeza, essa pessoa não é non grata; muito pelo contrário, muito pelo contrário...

hábraços

Nirton Venancio disse...

exatamente, Cláudio, exatamente...

Dora disse...

Tudo o que "gratifica" parece longe.Mas, há a esperança do "perto",no condicional "se"...
E Persona gratíssima, ficaria, não?
Desculpe-me se o comento de forma confusa. Escrevo no embalo do que me vem primeiro à mente e ao coração...
Beijos.
Dora

Nirton Venancio disse...

"Doralice, eu bem que lhe disse / amar é tolice", os versos do Caymmi me vieram agora no embalo de "ouvir" suas palavras.
Beijos gratos!

Ars Littera disse...

A Arte Independente o convida, não muito cordialmente, é verdade (mas quem se importa?), para uma visitinha -- quase, quase -- sem segundas intenções: http://www.arslittera.com/

Ars Littera

(Gratifica-me nos visitando =)

Nanna disse...

Gratificam-me suas palavras serenas e aconchegantes...

Beijinhos!
:)

Nirton Venancio disse...

beijos gratos pra você, Nanna.

Leandro Jardim disse...

Quanta poesia há em um "se"!!!

abs