segunda-feira, 18 de setembro de 2006

prazo

foto Alberto Monteiro

Impossível
terminar o poema nos próximos dias:
falta uma vírgula aqui>
aguarda um sentimento ali,
avista-se uma cidade acolá.

E essas correções, dores e risos
costumam demorar
uma vida inteira...

(do livro “Poesia provisória”)

10 comentários:

douglas D. disse...

queiramos o impossível...
devoremos a vida até o próximo instante...

Claudio Eugenio Luz disse...

Nessa vida, tudo é provisório. Bem sei que esse poema não é apenas sobre a poesia.

hábraços

Dora disse...

Na verdade, fazemos quase sempre "versos de circunstâncias", não é? Quando se findarem nossas "correções", nossos poemas já serão poemas "póstumos"...
Que morbidez a minha...rs
Beijo.
Dora

Dioneide Costa disse...

Palavras que encantam porque brotam do coração e da alma do poeta!!!

"E essas correções, dores e risos
costumam demorar
uma vida inteira..."

E nos acostumamos com essa eterna construção... do fazer da poesia o momento mágico de nossa existência!!

Desenho uma de nome " sentinela" que nunca termina..rss
Bj

P.S-

Luzzsh disse...

Oi Nirton,
Vagando, vagando, cheguei aqui.
Muito. Gostei muito. E volto.
Beijos.

Nirton Venancio disse...

que bom que vocês chegaram pra continuar o poema comigo!

GIOVANNA disse...

Não sei fazer poesia,mas adorei ler a sua. Voltarei mais vezes.

Até...

www.giovannavilela.blogspot.com

Nilto Maciel disse...

Nirton, li o teu poema, que é uma pérola. Parabéns! E abraços.

Rayanne disse...

Talvez porque o melhor poema seja uma vida inteira...
Talvez porque dentro de nós, poesia, pulsa interminável, fonte aguda...

**Estrelas, seu moço**

Nanna disse...

Vida inteira pra contar...

Beijos...