terça-feira, 6 de abril de 2010

simetria

foto David Fokos
 
O estender do mar é como o impossível:
o lado de cá
é
sempre
o infinito do lado de lá.

E entender de amar é como o impossível:
o meu lado de cá
é
sempre
o infinito do teu lado de lá.

(do livro “Poesia provisória”)

8 comentários:

adrianna coelho disse...


ah, nirton...

outra do poesia provisória
essa poesia que pressinto
- poesia em que prossigo
sendo outra
a cada olhar...

beijos!

Nirton Venancio disse...

Adrianna, que bom saber desses efeitos da poesia em você... que não sejam provisórios.
Beijos.

P.S.: Gostei da foto.

J.F. de Souza disse...

porque
amar
é preciso

Nirton Venancio disse...

porque
navegar
é preciso

Clara Angéliga disse...

lindo poema... encheu meu coração de sol...

Nirton Venancio disse...

que bom, Clara!

Anônimo disse...

Maravilha! Cabralino! rsrs!

Nirton Venancio disse...

Cabralino... só pode ser um comentário do Kauim, acertei?