segunda-feira, 5 de julho de 2010

minh'avó

foto Nirton Venancio

 Minh’avó caminhava pela grande casa.
Minh’avó muito pequena, até um dia desses,
caminhava pela grande casa.
Continuava com seus passos
seu cansaço
seus laços.
 
Minh’avó alterou a lei da física:
carregava no seu espinhaço tão frágil
décadas décadas décadas
datas datas datas
dias dias dias
carregava festas
aniversários
e algumas compras
carregava guerras
revoluções
e algumas brigas.


Teimosa, não se dava conta de toda essa carga
e olhava pela janela
o automóvel na rua
a moça na calçada
e ninguém mais em direção à igreja.

(do livro “Trem da memória”)

7 comentários:

Mirze Souza disse...

As avós são assim mesmo!

Morro de saudades da minha!

E como observam!!!!

Amei!

Beijos

Mirze

Domingos Barroso disse...

Um poema doce,
imbatível
feito avós
caminhando
dentro do casarão.

forte abraço.

Nirton Venancio disse...

Mirze, nossos avós são todos irmãos em sua pureza e graça.
Beijos.

Nirton Venancio disse...

Domingos, bela imagem sua da doçura dos avós caminhando no casarão...
Abraços.

Magnólia Fiúza Menezes disse...

posso copiar???

rubens disse...

já vivi essa foto, essa casa, essa senhora
saudades
mas...como disse outra, a saudade é um ponte

rubens disse...

já vivi essa foto, essa casa, essa senhora
saudades
mas...como disse outra, a saudade é um ponte