segunda-feira, 8 de agosto de 2005

simetria

foto David Fokos


O estender do mar é como o impossível:
o lado de cá
é
sempre
o infinito do lado de lá.

E entender de amar é como o impossível:
o meu lado de cá
é
sempre

o infinito do teu lado de lá.
 
(do livro "Poesia provisória") 

8 comentários:

Anônimo disse...

Nirton,

Adorei cada um deles!!!

Wilson

Rodrigo Capella disse...

Nirton, ótimo poema. Gostei bastante da estrutura que vc montou. Comparar o amor com o mar é algo realmente muito interessante.

Reinado Vieira disse...

Grande irmão
Não só tenho a honra e o prazer de conhecer os teus trabalhos, como também já tive o privilégio de trabalhar alguns desses poemas no palco.
Muito bom, muito interessane, com fotos de arrepiar, para emoldurar com ouro as tuas belas palavras...
Parabéns
Beijos
Rey

Anônimo disse...

Só podia ser de Nirton,
um blog tão expressivo desses.
Abç irmão!

NONATO ALBUQUERQUE disse...

Só podia ser de Nirton...

(fui eu quem escreveu isso aí - Nonato Albuquerque)

Anônimo disse...

Maravilhoso Blog,
Bela junção de texto e imagem.

BRAVO !!!!

Zerosa Filho

li disse...

Adorei seus comentários no meu blog!
Mande seu mail.
Abraços
Ligia

Pavitra disse...


lindo esse poema!

a idéia me lembra dos poemas do tagore... gostei muito mesmo!