quinta-feira, 31 de agosto de 2006

asas

foto Bruce Taj

Tirem-me a roupa
o chapéu contra o sol
tirem-me até os braços
as pernas
tampem-me os olhos
mas não tirem as asas
que criei pra mim

tirem-me o domingo
a manhã contra a noite
tirem-me até os feriados
os dias santos
rasguem os calendários
mas não tirem o tempo
que criei pra mim

tirem-me os lábios
o beijo contra o gelo
tirem-me até a voz
o delírio
adormeçam o sexo
mas não tirem o coração
que criei pra mim.



(do livro “Poesia provisória”)

9 comentários:

Dora disse...

As asas, o tempo e o coração...Imprescindíveis. Indispensáveis. Vitais. E que fazem a permanência constante em suas linhas. Tá certo. O pedido é justo...
Beijão!
Dora

Dioneide Costa disse...

"mas não tirem o coração
que criei pra mim.."
psiuuu!!
silêncio...rs
Lindo!
Bjss

Nirton Venancio disse...

Dora, Dioneide, beijos pra vocês. Do coração.

sayô disse...

minha liberdade que ninguém tente tirar.
beijos em vc

Rayanne disse...

Eu não sei, mas a idéia me trouxe esta imagem quando te li:

ASAS E AZARES

Voar com a asa ferida?
Abram alas quando eu falo.
Que mais foi que fiz na vida?
Fiz, pequeno, quando o tempo
estava todo ao meu lado
e o que se chama passado,
passatempo, pesadelo,
só me existia nos livros.
Fiz, depois, dono de mim,
quando tive que escolher
entre um abismo, o começo,
e essa história sem fim.
Asa ferida, asa ferida,
meu espaço, meu herói.
A asa arde. Voar, isso não doi.

Paulo Leminsky

Absolutos, você e Leminsky.

**Estrelas**

Nirton Venancio disse...

Sayô, liberdade sempre.

Rayanne, que honra eu ao lado do Leminski!

beijos alados pra vocês!

Claudio Eugenio Luz disse...

Meu caro, peguei uma leve infecção no olho esquerdo e lentamente estou lendo; contudo, sigo... É isso que eu chamo de resistência: podem tirar tudo aquilo que é concreto, mensuravel,rotineiro e enfadonho, conquanto, jamais tirem nossos sonhos. Poema porreta, meu caro.

hábraços

Nirton Venancio disse...

e infecção nenhuma tira seu olhar atento, afiado, sensível. Porreta também é você, meu caro!

Lela disse...

Do que vc criou pra vc, olhei dentro de mim e, feliz, notei que em mim também criei, mas, de tudo, mas me encantam as asas que fazem, pelo tempo, meu coração voar!
Belo, Nirton.
Amigo, diz seu signo. Quero linkar vc lá no Colcha.