sábado, 20 de fevereiro de 2010

bagagem

foto Edward Dimsdale

Dentro de mim
cabe uma cidade
outra cidade
e mais uma cidade
dentro de mim
cabe o universo
e mais o vilarejo onde nasci

meus pés
arrastam lembranças
espalham o cheiro da terra
soltam o corpo no sorriso
todas as veias
do coração
bifurcam na próxima cidade
e levam ao mesmo rio
diante do sol
abrem o meu olhar
horizontando o dia.

(do livro "Poesia provisória")

6 comentários:

NONATO ALBUQUERQUE disse...

Ah! os poetas
- como você,
sabem distinguir luz nas sombras;
encontrar veredas
em caminhos sem saídas;
multiplicar pães, onde nem alimento havia...

Poetas são de carne e osso,
mas a fluência do verbo é coisa da alma
distanciada desse velho e tresloucado mundo.

É por isso que os poetas vivem num mundo à parte,
serenos, distantes,
como se vislumbrassem o ideal da perfeição
e conseguissem, pouco a pouco,
esboçar tudo isso no papel.

Do nada que cria o tudo
Do silêncio que nasce a palavra
da noite que aurora o dia
da força que nutre a delicadeza.

Só poetas, como você, para agigantar no homem, o valor próprio que todos sabemos, ele tem...

(Um abraço do amigo Nonato)

Cris disse...

Este poema do Nonato é lindo, lindo mesmo e diz tudo sobre você, os poetas. Adorei.
Um beijo.

Nirton Venancio disse...

Obrigado, caro Nonato, por suas palavras... e nessas suas palavras, encontro você. Um grande abraço!

Nirton Venancio disse...

Cris, minha melhor poesia...

Selma Santiago disse...

Bom dia, Nirton. Já conhecia esse poema, muito bonito. As lembranças da terra onde nascemos são sempre muito forte em nós por toda a vida.
O Paulinho me falou que vc anda muito ocupado com o trabalho e as oficinas, depois a gente conversa sobre o mestrado. Abraços.

Nirton Venancio disse...

Oi,Selma. Ando mesmo muito atarefado. Mas vamos conversar, sim, sobre o mestrado. Pode ser na próxima semana?
Um abraço!

P.S.: sobre o poema, é isso mesmo. Nossas mais profundas lembranças têm raízes muito fortes na terra onde nascemos. Tô pensando em colocar esse poema no livro "Trem da memória" que lhe falei.