sexta-feira, 26 de maio de 2006

vertical

foto Christian Coiqny

O que existem são os meus olhos
numa dimensão
onde os meus sonhos não frustrem os meus pés.
Porque existem os meus pés
e a terra entranhada
e a canção seca dos homens.

Joguei-me do fundo de todo lugar distante
que deu nesta rua abismal.

Das raízes dos dedos dos pés
trago flores nas mãos
e segredo e cuidado.

Não tenho amor platônico pela vida:
nasço e morro exatamente hoje.
Sou marinheiro que parte:
cada dia é um porto que fica.

Ameaçam-me atear fogo
às vestes e às paixões
se eu não calo o canto
se eu não sigo as setas
se eu não cesso os beijos
isso
quando mais ardem
dentro e fora de mim
as vestes e as paixões.

(do livro “Roteiro dos pássaros – remixado”)

14 comentários:

Leandro Jardim disse...

Belo texto, meu caro!

e, livro com remix? Ha, genial!

grande abraço!

Cláudio B. Carlos (CC) disse...

Oi!
É minha primeira vez aqui. Gostei.
Abraços do *CC*

Claudio Eugenio Luz disse...

Surpreendente: se eu não calo...
se eu não sigo...
se eu não cesso...
..
as palavras possuem essa força mágica que não nos deixa quietos.
..
p.s: como assim, filmes curtos? Você quer dizer, curta-metragem?

hábraços

Nirton Venancio disse...

curtas-metragens, sim, Claúdio. Topa?

Ivã Coelho disse...

Também não tenho, pela vida, um platonismo, essa doença da alma. Só ainda não deixo a cada dia um porto para trás. Isso é projeto de vida.

abçs, amigo.

Lia Noronha disse...

Nirton: que imagem maravilhosa e texto divino!!! Adorei td por aqui...é por isso...que volto sempre!!!
Boa noite de Domingo e abraços mil.

Lela disse...

juro, li algumas vezes... quis catar uma frase... deu não. um poema que me pediu pra não raciociná-lo, mas senti-lo. senti.
Flores nas mãos e bju no coração

Ceci disse...

olá, Nirton, pesquei seu blog na Dora, vim visitá-lo encontro esse VERTICAL tão denso do presente: No coração, carrego este
"cada dia é um porto que fica". Agora, vc pode me dizer como registrar meus textos na Biblioteca Nacional?
Meu abraço.

Rayanne disse...

"Não tenho amor platônico pela vida
Nasço e morro exatamente hoje"

Cristalino e imortal, como o silêncio contemplando as tuas horas lá do alto das tuas pegadas.

Mas queima, a vida ainda reina.

Estrelas.

Nirton Venancio disse...

Ceci, seja bem-vinda aos meus escritos. Fico contente com a sua visita. Fui ao seu blog, mas não está acessando a janela para comentários...

Sobre o registro na Biblioteca Nacional, abra a página www.bn.br, e lá clique em Serviços > Direitos Autorais > Serviços. Há orientação para registrar obras inéditas e publicadas.

Um grande abraço!

Dora disse...

Belo! Belo! Um ser que sente o sabor da existência, e vive intensamente...(Eu não gosto de "dissecar" o poema...Mas, deu-me vontade aqui.). Tantas frases para traduzir a beleza!
Enfim...Deixo meu gesto de admiração, com um grande abraço!
Dora

Nirton Venancio disse...

obrigado pelo carinho das palavras, Dora. Obrigado a todos. Vão me agüentando mais um pouco com esse poema: tô viajando e sem condições no momento de atualizar o blog.

Ivã Coelho disse...

Ei, cadê você aqui?

Abçs

Conchita MC. disse...

Simpatizei muito com seu escrever.
Parabéns!

Voltarei oportunamente.

Abraço de:
ConchitaMC.