sexta-feira, 28 de outubro de 2005

mímica

foto Bogdan Jarocki


Os gestos lentos das mãos
somem com as máscaras no rosto
dia
após
dia:
até nada mais restar
sobre os ossos da face.

O destino das vértebras
sabe dele o chão

e
dos pensamentos
fica nos outros
o que passou pelo coração.

(do livro “Poesia provisória”)

2 comentários:

Dioneide Costa disse...

Perfeito! Sem comentários( rss...dizer isso aqui é meio contraditório...
"..e dos pensamentos fica nos outros o que passou pelo coração",é uma boa percepção isso, passar pelo coração abre um espaço gigante do que é verdadeiro e profundo e não falsificado, como uma flor que exala seu perfume e nunca perde a fragância, como as coisas que tem os seus mistérios..os gestos..os olhos..a boca!!
e o sono bateu agora........

Claudio Eugenio Luz disse...

Ler e comentar seus poemas vai, cada vez mais, tornando-se um grande prazer. Devo confessar que sou um pouco avesso à poesia - tirando os poemas de Fernando Pessoa e, alguns de Drumond. Porém, depois que descobri seus escritos, começo a ter um olhar diferenciado. Não há dúvida de que isso só se alcança lendo belos escritos.

..
hábraços