segunda-feira, 17 de abril de 2006

medida

foto Jean-Sebastian Monzani

Caberão no poema
quando
soltos,
os beijos
quando
largos,
os abraços
quando
estradas,
os passos
?



(do livro “Poesia provisória”)

10 comentários:

sayô disse...

qdo incansaveis...
beijos e boa semana

Dioneide Costa disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Dioneide Costa disse...

Lindo Nirton...

caberão aí todos os nossos sonhos?? rs
caberão as passadas da vida..as palavras não ditas...?!! rss

deixo "solto"meu abraço!!

Nirton Venancio disse...

cabe muita coisa num poema... a gente é que não sabe precisar essa dimensão.

(quem foi aí que se excluiu?)

Claudio Eugenio Luz disse...

Caberão? Uma pergunta complicada de ser respondida; contudo, fácil, muito fácil de ser colocada em prática.Basta estar aberto e distante de qualquer tipo de preconceito.

hábraços

claudio

Nirton Venancio disse...

nem conceitos nem preconceitos.

Lela disse...

Pelo que senti, couberam!
Delícia de medida... passos soltos, beijos largos, abraços estradas...
Poema na medida do acolhimento pela emoção!
Bju

Nirton Venancio disse...

e cabem, Lela. A gente pergunta só pra provocar o poema.

Giulia disse...

Sensíveis letras, Nirton. Parafraseando Pessoa, tudo cabe num poema quando a alma não é pequena. O poema é a mãe que a todos acolhe, sustenta, conforta. Beijos

Lia Noronha disse...

Nirton: adorei a sua forma de poetizar coisas simples...de um modo bem profundo!
Abraços mil.