domingo, 11 de setembro de 2005

abstrato

foto Bill Peronneau

No tempo tudo cabe
tudo muda de lugar
tudo some
não ficam parados no espaço
o gosto das frutas
e o cheiro dos homens.

O tempo dispensa a vontade alheia
impõe-se sobre a selva e a cidade
e destas nascem as folhas e os filhos
que o próprio tempo amadurece e faz saudade.

O tempo – enorme! – eleva os deuses
arrasta os homens
e espalha o mistério de uns
sobre a solidão dos outros.

De muito longe o tempo caminha
não como um velho
tão pouco uma criança:
unicamente caminha
- e sugere a esperança
e adormece as rugas.

O tempo não é o mesmo
sobre os aviões e os pássaros:
nas asas de um
é tudo muito rápido
nas asas do outro
é tudo muito livre.

 
(do livro "Poesia provisória")

3 comentários:

NIVALDO RIBEIRO disse...

Belo Blog... cheguei aqui através do Link no Raízes e Azas. Vou voltar sempre. um abraço!

Dioneide disse...

Caro Nirton

Esaa foto tá linda..casou com um debate que tá havendo lá pelo raizes e asas sobre árvores..
O tempo ! falar dele que nos rouba tantas coisas..é preciso viver intensamente a abundância de cada tempo, cada etapa dele tem sua condição, sua essência.seu perfume próprio.
Adoro passar por aqui!
Abs
Dioneide

Ailton disse...

Puxa. Tou emocionado.